Qual a quantidade certa de ração para o seu pet? – Minassal

Ao adotar um pet, principalmente os tutores de primeira viagem, surgem diversas dúvidas sobre os cuidados básicos, o que pode e o que não pode e, principalmente, se o peludinho está com fome e qual a quantidade certa de ração que devemos oferecer.

Antes de falarmos sobre valores, devemos entender que cada raça, tamanho, idade, condição de saúde e até os hábitos do dia a dia demandam necessidades calóricas e nutritivas diferentes. Por isso é fundamental que, logo ao adotar seu novo companheiro, você agende uma visita ao veterinário, o qual será capaz de orientar corretamente sobre o tipo de alimentação, quantidade e frequência.

Entendendo como calcular qual a quantidade certa de ração

O erro mais comum na hora de alimentar o pet é errar na quantidade do alimento, uma vez que a maioria dos tutores opta por oferecer rações industrializadas, as quais já possuem todos os nutrientes e alimentos necessários para a manutenção da boa saúde do animal.

Principalmente para quem possui mais de um peludinho em sua companhia, é frequente observar o tutor oferecer a mesma quantidade e com a mesma periodicidade. A não ser que ambos os pets tenham as mesmas características, alguém está sendo alimentado em excesso ou de forma reduzida.

Por isso trouxemos dicas práticas, orientadas por veterinários, para não errar ao oferecer ração para o seu pet, prejudicando assim sua saúde e bem-estar.

Peso (porte)

Apesar dos demais fatores citados acima, em condições normais de saúde, o principal fator que determina a quantidade de ração que deverá ser ofertada a seu pet é o peso do animalzinho.

Muitas pessoas se baseiam a partir do porte, e é de certa forma uma maneira simples de ter uma ideia da quantidade de ração que deverá ser comprada e armazenada para que seu amigo tenha sempre o alimento disponível, mas analisar apenas esse fator pode causar desequilíbrios.

A forma mais correta de calcular a quantidade de ração é a partir do peso do animal. Isso porque os animais mais pequenos podem alcançar até 5 kg, e essa diferença no peso pode impactar diretamente na quantidade em gramas. Por isso, uma dica simples e rápida é a partir da porcentagem.

Como calcular? É super fácil e nós vamos te ensinar.

  • Até 3 kg – a quantidade de ração equivale a 7% do peso do animal (ex. um cão de 2,5 kg deve receber 180 g);
  • Entre 3 e 5 kg – a quantidade de ração equivale a 6% do peso do animal;
  • Entre 5 a 40 kg – a quantidade de ração equivale a 5% do peso do animal;
  • Acima de 40 kg – a quantidade de ração equivale a 4% do peso do animal.

Todas essas médias foram baseadas em animais saudáveis e que praticam exercícios físicos regularmente. É muito importante que o veterinário de confiança seja consultado antes do início do cronograma alimentar.

Os peludinhos mais idosos, que praticam menos atividades físicas e portanto eliminam menos calorias, devem ter sua quantidade de ração reduzida. Estima-se que seja reduzido cerca de 20% da quantidade consumida a partir de seu peso, mas esse número pode variar e deve ser recomendado por um veterinário.

Hábitos

Se seu peludinho não pratica atividades físicas com frequência ou é mais preguiçoso, a quantidade de ração deve ser revista pelo veterinário. Isso porque a quantidade de calorias consumidas de acordo com a quantidade de ração ingerida é calculada com base nos gastos médios de animais em cada peso descrito acima.

Se o seu pet consome a mesma quantidade de ração, mas não elimina as calorias, ele corre sérios riscos de desenvolver obesidade e outros distúrbios.

Com qual frequência devo alimentar meu pet?

A frequência com a qual você deve alimentar seu parceiro de quatro patas varia de acordo com a idade e os horários com os quais seu pet já está acostumado.

Um filhote, por exemplo, necessita ser alimento entre 4 a 5 vezes por dia, já um cão adulto pode ser alimentado entre 2 a 3 vezes. É claro que a quantidade em cada ocasião será de acordo com a necessidade calórica do seu peludinho durante o dia. Por exemplo, se seu animalzinho necessita de 500g de ração no dia, e você o alimenta 2 vezes, então a cada ocasião ele deverá consumir apenas 250g.

É importante que o tutor não exceda o limite de gramas de ração diário, o excesso de comida pode causar obesidade e acarretar em sérios problemas de saúde. Da mesma forma, é muito prejudicial à saúde do seu pet alimentá-lo apenas uma vez por dia ou permitir que ele desenvolva o hábito de se alimentar apenas uma vez todos os dias.

Isso porque por permanecer tanto tempo sem comer, o pet pode desenvolver quadros de hipoglicemia, fraqueza e, por sentir mais fome, comer rápido demais, o que pode causar asfixia e outros problemas do trato digestivo. Por ser mais frequente em filhotes os casos de hipoglicemia, estes devem ser alimentados mais vezes ao dia.

Importante!

Cada pet possui suas próprias particularidades, por isso é necessário conhecer o quadro clínico de saúde do seu pet antes de montar o plano de alimentação.

Os petiscos e alimentos em sachê também possuem valor calórico, por isso caso o seu pet seja alimentado com petiscos, reduza na quantidade de ração.

Gostou das nossas dicas? Então leia também: Como limpar o espaço do pet? 7 dicas essenciais

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.